Meditação

O esforço no sentido da REALIZAÇÃO é como a tentativa feita por uma pessoa de pisar na sombra projetada por sua cabeça.

O esforço sempre a fará recuar.

  – Tripura Rahasya

Meditação é um estado de simplesmente ser, apenas pura experiência, sem nenhuma interferência do corpo ou da mente. É um estado natural que esquecemos como acessar.

Meditação não é nem um esforço mental nem uma tentativa de controlar a mente. Esforço e controle envolvem tensão e a tensão é contrária ao estado de meditação. Além disso, não há necessidade de controlar a mente, apenas de entender como ela funciona. O meditador não precisa domar sua mente. Precisa crescer em consciência, aprender vivenciar o momento presente em sua totalidade.

Os artistas conhecem este estado através do canto, da pintura, da música. Podemos conhecê-lo através de um hobbie, brincando com as crianças, contemplando uma montanha ou fazendo amor. Mesmo quando criança, tivemos experiências disso. A meditação é um estado natural e algo que você quase certamente provou e não soube definir.

O objetivo primordial da meditação é a diminuição gradativa das ondas mentais, ou seja, buscar o silêncio que existe dentro de nós, mas que se perde na agitação diária na confusão de pensamentos e sentimentos. Quando o corpo fica imóvel  e a mente silencia o que acontece? Com a palavra genial do físico Albert Einstein: “Penso 99 vezes e nada descubro, paro de pensar e a verdade me é revelada” 

Só nos últimos anos, essa técnica milenar foi objeto de mais de 500 estudos clínicos nos Estados Unidos, comprovando que:

  • Meditar controla significativamente a pressão arterial alta, em níveis comparáveis ao de drogas de amplo uso médico e sem provocar efeitos colaterais –  Hipertension, AMA Medical Journal
  • Quem medita é capaz de reduzir a dor crônica em mais de 50%, enquanto aumenta a produtividade e aumenta o humor – Jon Kabat-Zinn, médico, Stress Reduction Clinic, University of Massachusetts
  • 75% das pessoas insones que receberam treinamento em relaxamento e meditação conseguem adormecer em até 20 minutos depois de se deitar – Dr. GreggJacobs, psicólogo, Harvard
  • Meditadores são menos ansiosos, temem menos a morte, e são mais espontâneos independentes e autoconfiantes. Pesquisa que comparou dois grupos: um de pessoas que meditam regularmente e outro de pessoas que não meditam – Atlantic Monthly, maio de 1991
  • Mulheres com sintomas agudos de tensão pré-menstrual demonstram redução de 58% nos sintomas apos de cinco meses de meditação diária. – Health, setembro de 1995
  • A meditação pode diminuir o ritmo do envelhecimento. Um estudo mostrou que pessoas que meditavam a mais de 5 anos eram biologicamente 10 a 15 anos mais jovens que não meditadores com a mesma idade cronológica – International Journal of Neuroscience
  • Meditar combate a infertilidade associada a dificuldades psicológicas –  Dr. Herbert Benson, Universidade Harvard (Fonte: Ayurveda Cultura de Bem Viver, Márcia De Luca e Lucia Barros)

Ainda que a meditação tenha sido trazida para o ocidente com o intuito de eliminar o estresse e que seus benefícios para a saúde já tenham sido comprovados cientificamente e continuem sendo objeto de estudos, o principal objetivo da prática em sua origem é o autoconhecimento, é o encontro com a sua força pessoal, entendimento pleno da vida, ou encontro com a sua verdade. Ufa só coisa boa!

Vamos tentar? Se colocar a disposição para tentar acessar este estado já é um grande passo.

Boas práticas e Namastê!

Simone Saavedra

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *